quinta-feira, 15 de junho de 2017

NOVAS FOTOGRAFIAS DA ATIVIDADE " PORTUGAL, AQUI AO LADO ( 2ºESO-26/05/2017)









OFICINA DE CONSTRUÇÃO DE ADUFES.

Estas são as fotografias tiradas na oficina de construção de adufes da turma de 2ªD ESO. A atividade foi coordinada pela professora Catarina Lages a propósito da comemoração do Dia da Língua Portuguesa. Os instrumentos formaram parte duma exposição de trabalhos no CPR de Badajoz  cujo tema foi a lusofonia musical. O resultado foi espetacular e os instrumentos tiveram muito sucesso.









quarta-feira, 14 de junho de 2017

domingo, 11 de junho de 2017

VISITA AO CENTRO DE CIÊNCIA DO CAFÉ

Aqui temos um vídeo com algumas fotografias da nossa  divertida e educativa visita ao Centro de Ciência do Café, em Campo Maior, e do passeio  nas redondezas do Forte de Graça, na cidade de Elvas. Ainda se lembram do intenso cheiro a café no museu?
video

Fotografia de grupo.


quinta-feira, 8 de junho de 2017

Sobre a celebração do dia de Portugal...

Aqui ficam mais algumas fotos da celebração do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas na nossa escola.

A Lucía e Laura do 2º D recitaram o poema "Antigamente" de Luisa Ducla Soares.

 
 
Os professores de português também deram o seu contributo.




Uma mensagem para os meus amigos de 1ºBachillerato:

Caríssimos amigos, chegámos ao fim de mais um ano letivo. O tempo passa a correr e parece que foi ontem que vocês aqui chegaram, “quase bebés”, a esta escola secundária, no entanto já chegámos ao final do “1ºBachillerato”. Vem aí o último verão antes de abandonarem o ensino secundário e embarcarem em novos voos como a universidade, outras formações ou a vida laboral.

Para alguns de vocês este é o último ano que estudam esta língua vizinha e irmã do espanhol, outros não e ver-nos-emos no próximo ano para continuar com as nossas atividades de aprender português, porém, para todos (porque acredito que as coisas boas se devem mencionar e partilhar), gostaria de vos dizer o privilégio que é ver-vos crescer e constatar que, para além de cada vez dominarem mais a língua que vos ensino, vocês me ajudam a acreditar num mundo melhor do qual serão personagens principais.

Descansem muito, vivam muito, não tenham vergonha de querem ser felizes pois, se uns sapatos nos apertam, o melhor é livrarmo-nos deles e caminhar descalços na areia inexploradas que é o vosso futuro!

Quanto a mim, o vosso professor, só me resta agradecer a vossa atenção ao longo destes anos e escrever aqui, neste nosso blog, o quão orgulhoso estou de todos vós!

Aquele abraço,

Luis Leal

«Kuduro» do José Malhoa (Há festa em português no Moñino!)

A celebração do "Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades" foram uma festa na nossa escola secundária! A prova disso é que as colunas da nossa aparelhagem cairam ao som do José Malhoa e aguentaram a queda, como constatou o professor Alfonso com um: "FUNCIONA"!

Parabéns a todos os envolvidos no projeto! Somos uma ESCOLA VIVA!!!!

«Dança Kuduro» pelos alunos de 1°Bachillerato e 4°ESO do IES Rodríguez M...

Já tínhamos falado nas aulas sobre o que era o "Kuduro" e, coreografados pela professora Catarina, pusemos em prática o que aprendemos no campo de jogos da nossa escola secundária! Vejam só como o ritmo nos flui pelo corpo! 

«Cântico Negro» de José Régio pelos alunos de 4°ESO A

"Não, não vai por aí!", a turma de 4ºESO A vai por onde a leva os seus próprios passos e todos nós no Departamento de Português do IES Rodríguez Moñino estamos orgulhosos de ver que são passos firmes e decididos!



Cântico Negro

"Vem por aqui" - dizem-me alguns com os olhos doces 
Estendendo-me os braços, e seguros 
De que seria bom que eu os ouvisse 
Quando me dizem: "vem por aqui!" 
Eu olho-os com olhos lassos, 
(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços) 
E cruzo os braços, 
E nunca vou por ali... 

A minha glória é esta: 
Criar desumanidade! 
Não acompanhar ninguém. 
- Que eu vivo com o mesmo sem-vontade 
Com que rasguei o ventre à minha mãe 

Não, não vou por aí! Só vou por onde 
Me levam meus próprios passos... 

Se ao que busco saber nenhum de vós responde 
Por que me repetis: "vem por aqui!"? 

Prefiro escorregar nos becos lamacentos, 
Redemoinhar aos ventos, 
Como farrapos, arrastar os pés sangrentos, 
A ir por aí... 

Se vim ao mundo, foi 
Só para desflorar florestas virgens, 
E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada! 
O mais que faço não vale nada. 

Como, pois sereis vós 
Que me dareis impulsos, ferramentas e coragem 
Para eu derrubar os meus obstáculos?... 
Corre, nas vossas veias, sangue velho dos avós, 
E vós amais o que é fácil! 
Eu amo o Longe e a Miragem, 
Amo os abismos, as torrentes, os desertos... 

Ide! Tendes estradas, 
Tendes jardins, tendes canteiros, 
Tendes pátria, tendes tectos, 
E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios... 
Eu tenho a minha Loucura ! 
Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura, 
E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios... 

Deus e o Diabo é que guiam, mais ninguém. 
Todos tiveram pai, todos tiveram mãe; 
Mas eu, que nunca principio nem acabo, 
Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo. 

Ah, que ninguém me dê piedosas intenções! 
Ninguém me peça definições! 
Ninguém me diga: "vem por aqui"! 
A minha vida é um vendaval que se soltou. 
É uma onda que se alevantou. 
É um átomo a mais que se animou... 
Não sei por onde vou, 
Não sei para onde vou 
- Sei que não vou por aí! 

José Régio, in 'Poemas de Deus e do Diabo' 

«Pedra Filosofal» de António Gedeão pelos alunos de 4° ESO A do IES Rodr...

O 4ºESO A é uma daquelas turmas que não precisámos de ensinar-lhe que o sonho comanda a vida, pois são o exemplo de que vale a pena sonhar e que com eles o mundo pula e avança com a alegria da infância. Obrigado amigos!




Pedra Filosofal - António Gedeão

Eles não sabem que o sonho

é uma constante da vida

tão concreta e definida

como outra coisa qualquer,

como esta pedra cinzenta

em que me sento e descanso,

como este ribeiro manso

em serenos sobressaltos,

como estes pinheiros altos

que em verde e oiro se agitam,

como estas aves que gritam

em bebedeiras de azul.



eles não sabem que o sonho

é vinho, é espuma, é fermento,

bichinho álacre e sedento,

de focinho pontiagudo,

que fossa através de tudo

num perpétuo movimento.



Eles não sabem que o sonho

é tela, é cor, é pincel,

base, fuste, capitel,

arco em ogiva, vitral,

pináculo de catedral,

contraponto, sinfonia,

máscara grega, magia,

que é retorta de alquimista,

mapa do mundo distante,

rosa-dos-ventos, Infante,

caravela quinhentista,

que é cabo da Boa Esperança,

ouro, canela, marfim,

florete de espadachim,

bastidor, passo de dança,

Colombina e Arlequim,

passarola voadora,

pára-raios, locomotiva,

barco de proa festiva,

alto-forno, geradora,

cisão do átomo, radar,

ultra-som, televisão,

desembarque em foguetão

na superfície lunar.



Eles não sabem, nem sonham,

que o sonho comanda a vida,

que sempre que um homem sonha

o mundo pula e avança

como bola colorida

entre as mãos de uma criança.

«Amar Pelos Dois» de Salvador Sobral interpretada pelos alunos do 2° ESO...

Na celebração do "Dia de Portugal", os nossos alunos de 2ºESO A e B, ensaiados pelas professoras María José e María Carmen, cantaram a canção do Salvador Sobral, "Amar pelos dois". Estão todos de parabéns! 

Fotos da peça de teatro «O Bojador», de Sophia de Mello Breyner, interpretada pelos alunos do 4°ESO B

Aqui temos algumas fotos da peça de teatro «O Bojador», da autoria de Sophia de Mello Breyner, interpretada pelos alunos do 4°ESO B e ensaiados pelas professoras Luisa Antón e Catarina Lages. Temos artistas!

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Quem foi o Luís de Camões?

No próximo dia 10 de junho celebrar-se-á o «Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas» e hoje, na aula de 1°ESO D tivemos a sorte de contar com a nossa professora Catarina que nos veio falar um pouco sobre esse dia e, também, sobre o grande poeta da língua portuguesa, Luís Vaz de Camões! E, no final, vamos fazer uma exposição com os nossos trabalhos!

Os alunos de 4°ESO A, num lugar ao sol, a pensarem sobre a infância...

terça-feira, 6 de junho de 2017

Afinal o estilo de dança Kuduro tem inspiração europeia?

O tipo de dança chamado Kuduro, apesar de ter nascido em África, mais concretamente em Angola, e ter por base um estilo de música africano, tem uma inspiração europeia, belga, de um famoso ator dos anos 80 e 90. Será que já ouviste falar dos “Músculos de Bruxelas”?

Segundo Tony Amado, auto-proclamado criador da dança Kuduro, a ideia da dança surgiu depois de ver um filme de Jean Claude Van Damme (“Kickboxer”), em que o ator belga aparece num bar, bêbado, a dançar com um estilo muito rijo, duro, e pouco habitual para aquela época. E foi assim que nasceu este estilo de dança que fala português, mas que se dança em qualquer língua!

Por acaso conheces este filme e a famosa cena que inspirou Tony Amado? Se não, não há problema! Aqui a tens, apesar da música não ser a original do filme, adapta-se bem ao ritmo do género musical do Kuduro! Vamos dançar!


Celebração do dia 10 de junho, "Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas" no IES Rodríguez Moñino de Badajoz (08/06/2017)

Caros amigos, no IES Rodríguez Moñino celebraremos o "Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas" na próxima quinta-feira! Estão todos convidados!